Programa Chegando Junto abre o 4º Espaço Pertencer e chega a 300 famílias beneficiadas

O Pertencer – Espaço de Convivência do Habitacional Abençoada por Deus atende cerca de 60 crianças

Prefeito Geraldo Julio fez a entrega da nova unidade do Pertencer – Espaço de Convivência, desta vez no Habitacional Abençoada Por Deus na Iputinga, na manhã desta quarta-feira (4)

Com objetivo de fortalecer a presença das mulheres no mercado de trabalho e criar espaços recreativos voltados para primeira infância, o Programa Chegando Junto, da Prefeitura do Recife abriu a quarta unidade do Pertencer – Espaço de Convivência. Localizado no Habitacional Abençoada Por Deus, na Iputinga, Zona Norte da cidade, o local acolheu 54 crianças. Na manhã desta quarta-feira (4), o prefeito Geraldo Julio conheceu o espaço, que já funciona em dois habitacionais do Recife, o Padre Miguel e o Travessa do Gusmão, localizados no bairro de Afogados e São José, respectivamente e na comunidade de Caranguejo Tabaiares, na Ilha do Retiro. 

“Este é o quarto Espaço Pertencer do programa Chegando Junto. Agora estamos no Abençoada por Deus, onde recebemos 54 crianças e também parte das mães que passam a trabalhar aqui. As crianças passam o dia inteiro aqui, têm alimentação, brinquedos, parquinho,  tudo para elas terem um pleno desenvolvimento. A gente sabe que no Brasil estamos passando por um tempo muito difícil, onde muitas pessoas estão trabalhando nas ruas e muitas delas levam seus filhos também. Este espaço vem exatamente para isso, para acolher essas crianças. Mais de 300 famílias já foram beneficiadas em toda a cidade pelo Espaço Pertencer”, destacou o prefeito Geraldo Julio. 

O prefeito Geraldo Julio e a secretária de Habitação Isabella de Roldão

O espaço de convivência, que fica onde funcionava a sede da Associação dos Moradores do Abençoada por Deus, foi totalmente reformado, e conta com cozinha, sala de descanso, sala de recreação, parquinho, banheiro, entre outros. No local, as crianças serão orientadas a brincar com qualidade através recursos como brinquedos e jogos lúdicos para o melhor desenvolvimento da primeira infância. Com esta nova unidade, o Pertencer chega a 300 crianças contempladas e 50 mães-colaboradoras participando do programa. 

Para a secretária de Habitação do Recife, Isabella de Roldão, o Pertencer fomenta a esperança e a cidadania junto às mulheres beneficiárias do projeto. “Esse espaço é direcionado para as crianças, mas não tem como discutir Primeira Infância sem falar em questão de gênero. E aqui, junto com o prefeito Geraldo Julio, integramos neste espaço um grande potencial para o desenvolvimento dessas mulheres. Então a grande maioria volta a estudar, se qualificar e muitas delas são contratadas por nós como estagiárias colaboradoras. Elas fazem um curso profissionalizante de brinquedista onde abre possibilidades para empreender também”, afirmou a secretária. 

A ação beneficiou crianças entre seis meses e seis anos de idade, que ficarão sob os cuidados de 10 moradoras-colaboradoras da própria comunidade. As colaboradoras, por sua vez, estão devidamente matriculadas na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) com o curso profissionalizantes de Brinquedista – curso com 360 horas-aula distribuídas em três módulos ao longo de 18 meses – e que irão auxiliar nas atividades de recreação sob a coordenação de uma arte-educadora.

Além de ter encontrado no Pertencer um local que acolheu seus filhos, os gêmeos Maria Clara e João Francisco, Cris Vieira de 21 anos também conseguiu uma vaga como colaboradora. “Esta é uma oportunidade muito grande para nós. Primeiro porque aqui é uma forma deles terem mais conhecimento, ter uma espaço para brincar, se divertir. Aqui tem outras crianças então eles podem ter outras experiências. E para mim também é uma oportunidade de trabalho. É através desse dinheiro que eu consigo sustentá-los e me dá esperança para voltar a estudar e quem sabe fazer outro curso profissionalizante”, contou Cris.  

Já para Tamires da Silva de 26 anos e mãe de Taylane (5), poder deixar a filha em um lugar seguro dá a ela a possibilidade maior de trabalhar. “Este é um espaço maravilhoso para minha filha, porque é uma oportunidade maior de desenvolver, de conviver com outras crianças. Com ela aqui eu fico tranquila e também tenho mais possibilidade de arrumar emprego. Às vezes aparecia um bico mas eu não podia ir, porque não tinha com quem deixar meus filhos, mas agora as coisas vão melhorar”, comemorou Tamires. 

Foto: Andrea Rêgo Barros/ PCR

Deixe uma resposta